Begônias para alegrar!

As begônias pertencem à família da begoniáceas e são plantas de vaso, podendo ser cultivadas em jardins. A maioria das variedades de begônia são nativas da América do Sul, da África e da Ásia. Seu habitat natural são as matas úmidas. Para o cultivo de begônias, é preciso selecionar plantas saudáveis com folhas inteiras, viçosas e sem manchas. A propagação é feita através de mudas ou folhas, que devem ser plantadas em caixotes com areia e, posteriormente, transferidas para vasos contendo solo misturado com areia e composto orgânico.

Principais espécies


Begônia boweraeBegônia bowerae (begônia cílio-miniatura)

Originária do México, é planta cultivada à meia-sombra. Necessita de muita luz, porém não suporta sol diretamente sobre ela, entre 10 e 17 horas. Tem porte de até 30 centímetros. Sua propagação é feita através de estacas de folhas ou divisão de rizomas. Necessita de solo sempre úmido. As flores aparecem durante a primavera. Nesta espécie, as folhas são mais atraentes.


Begônia elatiorBegônia elatior “Rieger”

Conhecida como begônia holandesa ou begônia rigis, desenvolve-se através de hibridações. Tem porte de até 30 cm. E floresce durante quase todo o ano. As flores desta espécie são bastante atraentes. A propagação é realizada por divisão da planta. Não suporta clima frio, necessitando de proteção no inverno. Desenvolve-se melhor em temperaturas em torno de 30º C.

Begônia tuberhybridaBegônia tuberhybrida (begônia tuberosa ou begônia de flor grande)

Adapta-se aos climas tropical, subtropical e úmido. Desenvolve-se melhor em solos argilo-arenoso, ricos em matéria orgânica. Sua propagação é feita, principalmente, por tubérculos, mas pode ser realizada também através da estanquia de folhas. A melhor época para o plantio é a primavera e o verão. É plantada em vasos individuais, sendo uma planta de sombra ou meia-sombra. Tem porte de 20cm a 30cm.

Begônia masonianaBegônia masoniana (begônia cruz-de-ferro)

É originária da Ásia tropical. Tem porte de até 40cm e folhas e flores atraentes. As flores aparecem durante o verão. A propagação é feita por divisão de touceiras. Também necessita de muita luz, mas não suporta sol diretamente sobre ela, entre 10 e 17 horas. Não suporta clima frio, necessitando de proteção no inverno.

Begônia rexBegônia rex híbrida (begônia rex)

É desenvolvida através de hibridações. A propagação é feita, principalmente, por estacas de folhas e divisão de touceiras. Necessita de solo sempre úmido. Seu porte é de até 40cm e tem folhagem atraente. Necessita de muita luz para seu desenvolvimento, mas não suporta sol diretamente sobre ela, entre 10 e 17 horas. Prefere temperaturas em torno de 15º C. Não suporta clima frio, necessitando de proteção no inverno. É considerada planta de meia-sombra.

Begônia semperflorensBegônia semperflorens “Cultorum” (begônia sempre-florida ou begônia anã)

É originária do Brasil. Tem porte de até 30cm, floresce durante quase todo o ano e suas flores são atraentes, nas cores branco, rosa e vermelho. A temperatura ótima para germinação é de 25º C. Propaga-se através de sementes, em qualquer época. É uma planta perene, tolera sol pleno ou meia-sombra, com proteção dos ventos. Pode ser usada como forração e é ideal como espécie ou maciço isolado. Também necessita que o solo esteja sempre úmido. Existem variedades com folhas verdes e folhas marrons, independentemente da cor da flor.

Begônia DavidNos vasos, a água deve ser colocada nos pratinhos, em quantidade que a planta absorva, sendo que o excesso deve ser jogado fora.

Os ramos mais fracos e as flores murchas devem ser cortados. Após o corte, pode ser passado carvão moído no ponto de corte, o que evita a entrada de microorganismos indesejáveis e acelera a cicatrização.

A adubação de manutenção pode ser a base de adubo orgânico, distribuído na superfície de terra do vaso e misturado à terra, ou adubos químicos já formulados, encontrados em lojas especializadas. A adubação deve ser feita uma vez por mês.

Sintomas comuns em casos de problemas com pragas e doenças ou tratos culturais incorretos:

Coentro- os caules crescem demais e as folhas não se desenvolvem, principalmente em ambientes de pouca iluminação. Os vasos devem ser levados para locais mais claros e devem ser devidamente adubados.

- as folhas murcham e os caules escurecem por causa do excesso de água, o que provoca o ataque de pragas e doenças. As irrigações devem ser diminuídas.

- quando as bordas escurecem, as folhas murcham e tendem a enrolar. Recomenda-se irrigar.

Begônia pink- quando a planta não floresce e fica com excesso de folhas, é sintoma típico de desequilíbrio de nutrientes. A aplicação de adubos com alto teor de fósforo e o mesmo teor de nitrogênio é importante (por exemplo, adubo NPK 10-10-10 ou 5-10-5).

- plantas com ácaros, cochonilhas e doenças causadas por fungos são mais fáceis de ocorrer nas begônias. Em alguns casos pode ser necessário o uso de produtos para controle, encontrados em lojas especializadas. Na dúvida, consulte um engenheiro agrônomo.